domingo, maio 06, 2007

Este espaço tem como objectivo a (re)descoberta de quem fui, quem sou e, mais importante, quem devo ser. Como o próprio título deste espaço enuncia, pretende-se, também, recuperar a capacidade de sentir e reconhecer as coisas belas (principalmente as mais simples).
São algumas coisas que se pensa ter perdido...
Daí a necessidade de encertar esta "procura"!

Assim, para começar, deixo-vos um poema de um Poeta muito querido que, de alguma forma, traduz a razão deste espaço:

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.
Tenho o fogo de constelações extintas há milênios.
E o risco brevíssimo — que foi? passou — de tantas estrelas cadentes.
A aurora apaga-se,
E eu guardo as mais puras lágrimas da aurora.
O dia vem, e dia adentro
Continuo a possuir o segredo grande da noite.
Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.
Não quero o êxtase nem os tormentos.
Não quero o que a terra só dá com trabalho.
As dádivas dos anjos são inaproveitáveis:
Os anjos não compreendem os homens.
Não quero amar,
Não quero ser amado.
Não quero combater,
Não quero ser soldado.

— Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples.
Manuel Bandeira

4 comentários:

Anónimo disse...

zlpewuTambém adoro as "coisas simples". Porém, às vezes ... são as mais complicadas! Ou nós as complicamos ...

Espero que continue a apreciar "as coisas simples", sem as complicar ...

A vida é curta e, já de si, complicada. Não necessita que ampliemos os escolhos!

A poesia é bela e deve abrir-nos o horizonte, o Sol, o infinito ... e não amarfanhar-nos, escurecer-nos, deprimir-nos!

Bons percursos, para as suas palavras, para as suas fotografias, para os seus pensamentos, para a sua vida, nesta nova via para o ... "Tecto"!

senhor a disse...

Benvinda a este espaço!
Não imagina o sorriso que tenho estampado na cara!!! :)

Fiquei tão feliz com o seu comentário, com as suas palavras amigas e de força!

OBRIGADA!!!!!!!!!!!

Um beijo enorme!

ana disse...

Efectivamente o nosso "intruso" vestiu a minha pele e comentou, exactamente, aquilo que eu penso.
Não posso, por isso, deixar de concordar plenamente com ele.
Na verdade, são as coisas simples que nos enchem a alma, que dão graça à nossa vida.
O "bom dia" de alguém que eu sei que gosta de mim, o sorriso na cara da minha filha, o saber que temos alguém que nos estima e que nos considera sua Amiga (acredite que também eu me considero muito sua Amiga e, também eu tenho muitas saudades suas-mesmo).
O problema é que, como diz o nosso "intruso", tantas e tantas vezes complicamos aquilo que é simples e procuramos estas coisas simples e belas onde elas não estão.
Movemos montanhas, atravessamos oceanos e não as encontramos, porque, muitas vezes estão junto a nós e não nos apercebemos.
Para finalizar, desejo-lhe, do mais profundo do meu coração que seja muito feliz e não se esqueça que:
ATRÁS DE UM GRANDE AMOR VEM OUTRO AINDA MAIOR (assim o queira)

senhor a disse...

Acredite que o meu sorriso é o mesmo, de orelha a orelha, por ver o seu comentário!

Agradeço, do fundo do coração, as suas palavras! - Cuja razão não posso deixar de reconhecer.

Quanto ao futuro, a ver vamos...

(Já o nosso "ilustre intruso", enfim...!)
;)